ícone do tempo
Campo Grande 31.75 °C

Bolsonaro dribla cancelamento e usa evento de Tarcísio para acenar ao agro

Sem cerimônia da Agrishow após crise com governo Lula, ex-presidente cola em aliado e critica homologação de terras indígenas

O ex-presidente Jair Bolsonaro discursa em evento agrícola com Tarcísio de Freitas em Ribeirão Preto – Joel Silva/Folhapress

MARCELO TOLEDO

FOLHA DE S.PAULO

RIBEIRÃO PRETO – Personagem de um imbróglio que culminou no cancelamento da cerimônia de abertura da principal feira de tecnologia agrícola da América Latina, o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) usou um evento do Governo de São Paulo, comandado por seu aliado Tarcísio de Freitas (Republicanos), para discursar nesta segunda (1º) a ruralistas presentes à Agrishow, em Ribeirão Preto (a 313 km de SP).

A organização da feira anunciou no sábado (29) o cancelamento da tradicional cerimônia de abertura após a polêmica envolvendo o “desconvite” ao ministro Carlos Fávaro (Agricultura) para que não comparecesse ao ato, que contaria com a presença de Bolsonaro.

Isso ocorreu em uma conversa entre o ministro e o presidente da feira, Francisco Matturro, que desencadeou uma crise que culminou na ameaça do governo Lula (PT) de o Banco do Brasil cancelar o patrocínio à feira.

Mesmo sem cerimônia oficial, Bolsonaro —em sua primeira viagem pelo país após retornar de um período de três meses nos Estados Unidos— manteve sua programação e desembarcou em Ribeirão pouco antes das 14h deste domingo (30), quando foi recebido por uma multidão no aeroporto.

Após cumprimentar apoiadores, subiu na caçamba de uma camionete e percorreu cerca de 18 km até a fazenda do ruralista Paulo Junqueira, responsável pelo convite para Bolsonaro visitar a feira agrícola.

Nesta segunda-feira, chegou à Agrishow pouco antes das 11h, com um forte esquema de segurança, e entrou no auditório do governo paulista na fazenda que abriga a feira agrícola para dizer que o agronegócio “precisa de políticos que não atrapalhem” o setor.

“Isso que fiz ao longo do meu mandato, com meus ministros”, disse Bolsonaro, que passou a criticar as homologações de terras indígenas assinadas por Lula, a quem chamou de “cidadão que está no Palácio”.

“Vocês devem saber que há 400 pedidos de demarcações de terras indígenas e pelo menos 3.500 de quilombolas. E aquele cara disse que faria o possível para atender os anseios das comunidades. Se 10% forem atendidos, para onde irá nosso agro? Peço a Deus para isso não acontecer”, afirmou Bolsonaro, que discursou por sete minutos e foi saudado diversas vezes como “mito”.

Tarcísio iniciou seu discurso cumprimentando Bolsonaro e disse que “não é mistério para ninguém a gratidão” que tem pelo ex-presidente, que no cerimonial foi apresentado como “presidente”.

“Sempre trouxe para sua equipe os louros, sempre deu o crédito para aqueles que o acompanhavam”, disse o governador.

Tarcísio ainda disse que não vai tolerar invasões de terra em São Paulo e que vai investir em conectividade para eliminar zonas de sombra de sinais de telefonia em todo o estado, como já havia feito sábado (29) na Expozebu, em Uberaba.

Ao terminar o evento, Bolsonaro e Tarcísio, acompanhados pelo senador Marcos Pontes (PL), por ruralistas e por deputados, percorreram ruas da Agrishow, subiram em máquinas e tratores. Numa delas, Bolsonaro abriu uma bandeira e os apoiadores começaram a cantar o hino nacional.

Segurando uma bandeira do Brasil no alto de um trator, Bolsonaro, vestido de polo amarela, acena para o público que está abaixo, ao lado de Tarcísio. Atrás deles, outro trator e um homem de chapéu de palha aparece de costas fazendo uma foto com o celular
O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) acena ao lado do governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, durante a Agrishow, em Ribeirao Preto, interior do estado – Miguel Schincariol/AFP

Junqueira disse no domingo não ver problema em não haver um ato solene de abertura e que a “feira estará aberta”, em alusão à abertura dos portões para visitação dos produtores rurais.

A previsão da Agrishow para este ano é negociar mais que os R$ 11,243 bilhões registrados em 2022 em vendas de máquinas agrícolas, de irrigação e de armazenagem (R$ 11,77 bi, em valores atualizados pela inflação).

A feira terá 800 marcas nacionais e estrangeiras expostas numa área de 530 mil metros quadrados, em que o produtor poderá comparar as máquinas das mais variadas empresas, ver o funcionamento nas demonstrações de campo e financiar no seu banco dentro do próprio evento. São aguardados 190 mil visitantes até sexta-feira (5).

A Agrishow será realizada no km 321 da rodovia Antônio Duarte Nogueira, em Ribeirão Preto, com funcionamento das 9h às 18h.

Compartilhe
Notícias Relacionadas
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Sites Profissionais
    Informe seus dados de login para acessar sua conta